domingo, 12 de setembro de 2010

Mandinga pra chuva chegar


Sabe aquela história do “poder da atração”, da “conspiração a favor”, do “chama que vem”? Pois é, fiquei pensando nisso esse final de semana e resolvi fazer a “mandinga pra chuva chegar”.
O negócio é simples: a gente vai mentalizar algumas coisas que lembrem a chuva ou que a tenham como tema e repeti-las como um mantra? Não sabe o que é mantra? Não tem importância, fique pensando no barulho da chuva, cante músicas de chuva, faça a famosa dança da chuva... tudo isso repetidamente. Quem sabe não funcione? Porque o negócio tá brabo, não é mesmo? Que tempinho ruim! Como diria Maria Bethania: “Tinha que respirar, todo dia”.
Pra te dar uma ajudinha, aí vão algumas dicas:
Um clássico: “Chuva de prata que cai sem parar...”
Outro clássico (dá pra confundir com “jurássico” também!): “Chuva traga o meu benzinho...”.
Um gospel: “Faz chover a chuva serôdia sobre nós, faz chover a chuva temporã...”.
Outro gospel: “A chuva desce lá do céu como se fosse véu, de água corre o chão...”.
Vai de axé: “Quando a chuva passar...”.
Vai de romântica: “Cai a chuva que molha o meu amor...”.
Mais um amorzinho aí: “O amor não é como paixão que vai e vem feito chuva de verão...”.
Tem até pra criançada ajudar: “Chove, mas como chove: chuva, chuvisco, chuvarada, por que chove tanto assim?”.
E para os mais ligadinhos, tem até internacionais:
“I’m only happy when it rains...”.
“Singing in the rain…”.
“Rainy days and Mondays…”.
“I only want to see you laughing in the purple rain…”.
“Rain! Feet it on my finges tips, hear it on my window pane…”.
“If the rain comes theys run and hide thein heads…”
E: “It’s raining men, alleluia!...” Ops! Esta não tem muito a ver, não, mas não resisti!
Bom, é isso! Escolha uma e fique repetindo-a como se fosse um mantra, pensando positivo e, quem sabe, a chuva não vem e acaba com essa nossa agonia.
Mas, se de tudo, der errado, pegue uma mangueira e tome uma ducha... Assim, certamente, refrescará o seu calor!
Eu vou, mas semana que vem eu volto!

Antonio Luceni é mestre em Letras e escritor, membro da União Brasileira de Escritores – UBE, e diretor do Núcleo UBE Araçatuba e região.

Um comentário:

  1. Minha "frígida' pessoa molhou-se com o teu texto,dono do tempo...

    ResponderExcluir