segunda-feira, 7 de outubro de 2013

432 ou 440?

*Professora de música e regente de coral, formada pelo Instituto de Tatuí

Você sabia que a maior parte da música mundial é afinada na frequência de 440Hz vibrações por segundo? No ano de 1936, uma conferência internacional recomendou que o “La” – que se encontra à direita do dó central do piano, fosse afinado a 440 Hz. Esse padrão foi adotado pela Organização Internacional para Padronização. Desde então, todos os instrumentos têm como referência de afinação essa frequência de som.

Mas, nem sempre foi assim. Antes da padronização (440 Hz), a freqüência seguida para a afinação era a de 432 Hz. O A=432 Hz, conhecido como “Lá de Verdi”, era a afinação adotada anteriormente e que é matematicamente consistente com o universo. É sabido que músicas em 432Hz transmitem energia de cura benéfica, porque é um tom puro de matemática fundamental da natureza. Acentua a produção de serotonina e o lado direito do cérebro. É a frequência dos batimentos cardíacos e está de acordo com padrões matemáticos perfeitos.

A frequência em 432 Hz é uma frequência perfeita, harmônica, já que, segundo alguns especialistas, é a mesma frequência do universo. Utiliza a fórmula PHI, conhecida como regra de ouro. Ela produz de forma natural a “espira musical pitagórica”. É a sequência seguida por toda a forma de vida. Os violinos Stradivarius têm a frequência de 432 Hz, que não por acaso soam melhor do que os violinos convencionais. Por estar de acordo com o universo e suas leis, a frequência 432 Hz inspira paz, lógica, harmonia, perfeição e universalidade. 


Ouça a diferença entre 432 Hz e 440 Hz:


Vamos entender como aconteceu a mudança de 432 para 440 Hz:
Através de um decreto, na Europa, em 1939 a afinação de 432 Hz muda para 440 Hz. 

Há uma teoria que diz que a mudança de 432Hz para 440Hz foi ditada pelo ministro de propaganda nazista, Joseph Goebbels. Ele usou-a para fazer com que as pessoas pensassem e sentissem de certa maneira, e para fazê-los prisioneiros de certa consciência. Então, por volta de 1940, os Estados Unidos introduziram mundialmente o 440Hz, e finalmente, em 1953, tornou-se o padrão pela ISO.

Recentes descobertas da vibração - oscilação natural do universo - indicam que essa afinação contemporânea pode gerar um efeito prejudicial à saúde ou um comportamento antissocial na consciência dos seres humanos. 440Hz é o padrão antinatural de afinação, removido da simetria das vibrações sagradas e harmônicos que têm declarado guerra ao subconsciente do homem do ocidental.

O Dr. Leonard Horowitz diz em seu manuscrito “Musical Cult Control” (Controle de culto musical) que “A indústria da música tem essa frequência imposta que é “pastorear” populações para uma maior agressividade, agitação psicossocial e sofrimento emocional que predispõe as pessoas às doenças físicas”.

Nikola Tesla diz o seguinte: “Se você quer encontrar os segredos do universo, pense em termos de energia, frequência e vibração.” 

Hoje em dia, estuda-se o retorno da afinação para 432 Hz tendo como objetivo “harmonizar” o homem com o mundo ao seu redor. Talvez essa seja ainda uma ideia distante do alcance, já que todos os instrumentos musicais e as regras que os decifram caminhem sob a orientação da afinação de 440 Hz. 

Até a próxima semana pessoal. 
Abraço.

3 comentários:

  1. Quer dizer que o destino da humanidade está em afinar os instrumentos na freqüência de 432 hz?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga querida!
      Bem, se dependesse somente disso eu seria primeira da fila nessa revolução "afinatória"!
      Como eu disse, é apenas uma teoria, mas achei interessante...
      Acredito que são os homens que precisam "afinar" seus interiores numa frequência mais calma, menos "estridente" Talvez não seja a solução salvadora, mas creio que diminuiria nossa "frequência" diária e acalmaria nosso passo.. não é mesmo?
      Saudades de você!
      Fico feliz que nos acompanhe.
      Amo seus textos também!

      beijão

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir